Por que ter um blog?

• 28/02/2013

Na semana passada, uma leitora – a Ana – sugeriu que eu escrevesse um post falando se vale a pena ou não manter um blog literário. Na hora, acabei indo um pouquinho mais longe e comecei a pensar sobre como foi meu primeiro contato com blogs, como eles surgiram na minha vida e como eu finalmente decidi ter um blog fixo, do jeito que eu sempre quis.

Na primeira vez que eu criei um blog, eu tinha treze anos e estava no auge do meu vício por Linkin Park. Até hoje eu sou muito fã da banda, mas, naquela época, eu era um caso à parte, a ponto de ser conhecida na escola como “a menina fã de Linkin Park”. Eu gostava tanto da banda e queria tanto falar sobre eles que decidi fazer um blog sobre isso. Mas não deu muito certo. Eu não sabia mexer nas configurações do blog e estava começando a aprender a falar inglês, de modo que eu não poderia trazer notícias em primeira mão ou mesmo fazer traduções das letras. Então eu desisti. Apaguei tudo e, graças a Deus, não tenho nenhum registro dessa desventura na internet (tem coisa que é melhor ficar no passado).

Depois, com dezesseis anos, criei outro blog – mas ele era secreto e eu só escrevia para mim mesma. A ideia era fazer uma espécie de diário virtual, porque eu estava em uma época em que precisava desesperadamente de um lugar para desabafar. Mas ele também durou pouco, pois essas coisas eu prefiro escrever à mão. Se não me falha a memória, escrevi uns três posts e cansei.

kgLcv-umZFg

Só em 2010 que eu comecei a ter mais contato com o lado sério de ter um blog. Eu decidi falar sobre livros, porque eles sempre, sempre mesmo, fizeram parte da minha vida. E, como eu lia bastante, era um assunto sobre o qual eu tinha um pouco de propriedade. Deu certo. Eu passei a ter mais contato com quem lia os posts, a ter mais responsabilidade… eu até descobri o mundo das parcerias com editoras, que era desconhecido por mim até então.

E foi aí que eu decidi mudar de assunto e começar outro blog – e essa foi uma das melhores escolhas que eu fiz nos últimos tempos, porque o retorno está sendo incrível (♥). Às vezes, começar um projeto do zero é tudo o que você precisa. Novas ideias, novos temas, novas abordagens, ver o que funciona para mim e o que não funciona… eu continuo falando de livros, mas de vez em quando gosto de tocar em outros assuntos porque não sou feita apenas de livros. Assim como todo mundo, meu leque de gostos é amplo e eu gosto de compartilhar uma parte deles aqui.

Ter um blog não é muito diferente de querer comprar muito alguma coisa. Quando você está com muita vontade de ter algo e tem dinheiro no bolso você não vai lá e compra? Com um blog é assim também. Não acho que é preciso ter muito mais do que a vontade de criar uma página na web para fazer acontecer. Eu sempre gostei de ler e de escrever, então foi natural unir esses dois interesses em uma coisa só.

Acho que o que deve ser levado em conta é a seriedade que o seu projeto vai ter. Se você quer escrever apenas para você, obviamente a dedicação não precisa ser assim tão intensa. Mas, se a ideia é criar um blog grande, fazer com que várias pessoas o conheçam e o acompanhem, isso muda. Ter um público maior inevitavelmente vai tornar as coisas mais sérias – e isso não significa que a graça vai acabar, só significa que você vai ter que se dedicar mais. É claro que às vezes o retorno acontece por acaso e te surpreende!

1329319590_15-vert

Toda vez que vejo donos de blogs grandes respondendo a pergunta “como você chegou até aqui?” a resposta é a mesma. Dedicação. E eu acho que é por aí mesmo. Escrever sobre o que você gosta é fundamental. Se você não tiver interesse, a experiência vai ser horrível e os leitores vão acabar percebendo.

Uma coisa que sempre me deixa chateada (e não sei se estou saindo do foco aqui) é quando vejo que uma pessoa criou um blog literário apenas para ganhar livros de cortesia da editora parceira. Como eu falei ali em cima, quando comecei a falar de livros na internet isso nem existia direito – ou eu simplesmente era mal-informada. A questão é que isso é tão errado. É claro que receber livros em casa é legal. Você pode fazer sorteios e esse é um modos de agradecer quem acompanha o blog, comenta nos posts e tudo o mais. Mas não acho que vale a pena criar um blog por causa disso.

Ter um blog, literário ou não, exige paciência. E muita vontade de fazer acontecer. Mas, respondendo à pergunta da Ana, vale muito a pena. Eu entrei nessa por acaso,  num impulso… e hoje já não consigo me imaginar sem. Engraçado, né? Aqui, além de ter a chance de praticar minha escrita, também aprendo bastante. Afinal, vira e mexe eu faço pesquisas quando quero fazer um post diferente. Mas a melhor parte é ver todo o trabalho recompensado com alguém indicando o post pra um amigo porque adorou o que eu escrevi!

comente pelo facebook
Ou pelo formulário


14 comentários